sábado, 10 de janeiro de 2009

O fim ou a eternidade de uma lenda


De acordo com o filme "Capítulo 27" ( Chapter 27), que fala sobre o assassinato de John Lennon, mostra, pelo menos na minha opinião, que o seu assassino não era um psicótico, como todos os jornalitas escrevem quando vão falar do fato ocorrido.

Eu nunca soube bem sobre a morte do ex-Beatles, mas sabia o básico por causa das brincadeirinhas que as pessoas fazem, do tipo "ah, só quer ser a bala que matou John Lennon", quando uma pessoa se acha.

O legado que ele deixou foi que o grupo inglês existia apenas por ele, e existe até uma famosa frase do mesmo que diz: "Eu não acredito nos beatles, eu acredito em mim". Eu a acho muito idiota, mas não tiro a razão dele, aliás ele sabia que a sua arte era boa, mas isso não queria dizer que a dos outros integrantes também não fosse.

De acordo com o filme citado, o assassino era uma pessoa comum da época, traduzindo fã do fenômeno que se encontrava no planeta, e tinha como sonho conhecer o estimado artista (J. L.).

Ele fez muitas viagens até conseguir conhecer o cara, mas o que fez ele ficar decepcionado com o tão sonhado encontro foi que não foi bem o que ele esperava. Ele descobriu isso sobre os artigos que ele lia sobre o John que dizia que os Beatles tinha sido um ensaio, uma perda de tempo.

Isso deixa a pessoa totalmente pra baixo, pode imaginar um fã neurótico?

Mas eu, Milena Oliveira, que sou uma louca considerada "normal", mesmo defendendo em parte o tal assassino, mesmo defendendo que os jornalista deviam ter um mínimo de respeito, por que se tivesse ocorrido o contrário, ele ainda estaria aí, fazendo a sua arte e o anônimo morto que se explodisse.

Esse poderia ser um dos argumentos a ser usado pelo advogado de defesa, o cara tinha distúrbios, e já faz mais ou menos uns 30 anos que ele está preso, pagando o seu crime, colhendo o que plantou, eu sei, mas paresse que a prisão é perpétua só pelo fato de a vítima ter sido "popular". Poxa, negaram a ele, desde 6 anos atrás, o pedido de tentar começar a vida sendo meio livre. Pode até ser que não tem justificativa, ele matou um cara, mas o que eu estou querendo dizer é que, se o Sr. Lennon fosse o autor desse crime, será que ele tinha passado pelo menos 1 ano preso? Bem, eu acho que não. Será que ouviram a versão dele da história, tipo o porquê dessa loucura? Improvável, não estou dizendo que o cara é inocente, ele era apenas louco. Será que vocês jornalistas poderiam pelo menos respeitar o cara e não xingá-lo toda vez que tocassem nesse assunto? É improvável isso também. John Lennon também colheu o que plantou, ele machucou o coração das pessoas com suas palavras , mas as cativou ainda mais. Do mesmo jeito o seu assassino machucou o mundo matando essa lenda do rock, da história da música, sendo que ele comenteu muito mais estrago na vida das pessoas. Um luto eterno.

Mas o Sr. Lennon se achava o cara, e as pessoas leigas quando vão citar alguma coisa dos Beatles dizem já dizia John Lennon... Mesmo que a autoria fosse dividida com outra(s) pessoa(s) ou mesmo que fosse de um outro membro. E isso é o tipo de coisa sobre ele que não suporto. O jeito que ele tratava as pessoas que fizeram ele ser o que ainda é, o jeito dele quando um fã fazia o papel de fã. É esse o tipo de coisa que não curto em um ídolo.


Ah, e o meu Beatles preferido é Paul McCartney. E capítulo 27 é uma boa dica de filme, Jared Leto é um excelente ator.


P.S.: Aceitando críticas, mas por favor, não me processem. xD

3 comentários:

KID PSICÓTICO disse...

Um dos grandes problemas da humanidade é a idolatria sem limites. Seja nó senário músical, politico, religioso, etc.
John Lennon, foi com certeza um grande artista, o que não faz dele melhor ou pior que ninguém. Se fosse ele o assassino, certamente estaria solto, mas aí se trata da questão de vivermos num mundo "capitalista-selvagem", onde o dinheiro vem antes de qualquer coisa. E além do dinheiro ele tinha muitos privilégios, por ser um grande artista que "contribuia para um mundo melhor". Bom, isso graças a idolatria exagerada de seus fãs. Quantos não morreriam por Lennon??? Quantos não matariam por Lennon???
Quanto a seu assassino, não foi um monstro criado por Lennon. Ele se auto criou, apartir do momento em que colocou "algo, ou, alguém" a cima dele mesmo.
Vejamos por outro lado, qual é a maior causade guerras todos os tempos. Quais as guerras mais duradouras e sem sentido?
Bom, a resposta com certeza é: "Guerras que envolve religião." Sim, por que as pessoas confundem "fé" com "fanatismo".
E é assim, através da idolatria exagerada que começão as "Guerras Santas"(Santa?). E é assim também que ocorre os assassinatos idiotas e as outras inumeras burradas que estamos acostumados a ver.

ABAIXO AO FANATISMO! TENHA IDOLOS, MAS NÃO OS "IDOLATREM"!!

Cleiton disse...

bom eu nao assistir a esse filme mais estou aqui para fortalecer a minha merecida amiga do peito postando esse comentario... fica com deus se cuida fuii...

Cinderella disse...

Cleiton querido, eu acho que vocÊ teve preguiça até de ler o post. O texto não trata-se do filme, e sim, dos fatos ocorridos, já que ele é totalmete baseado em fatos reais e sobre as expressões de opiniões sobre esse trágico acidente.